logo-horizontal
Perspectiva ilustrativa do acesso ao largo Tereza Batista. Vemos, do alto, os telhados de sobrados coloniais e, no meio das construções, um largo com o acesso por uma escada ampla. Há uma cobertura vazada no meio do largo, sua textura lembra um trançado de palha. A vista é noturna, o céu está muito estrelado, os tons dos elementos do largo são avermelhados e o clima do local é acolhedor, com vegetação tropical pelos cantos e pessoas circulando. Perspectiva isométrica do largo Tereza Batista. Construções com volumetria simples e brancas representam os sobrados, o espaço entre eles configura um largo. Para acessá-lo, há uma grande escadaria que parte de área toda pintada de vermelho. O piso do largo tem tons terrosos e há uma grande cobertura vazada no seu meio, que se conecta com um palco por uma cobertura vermelha. Dois desenhos em linhas pretas que representam os orixás Omulú e Iansã. Omulú dança coberto por palhas e instrumentos nas mãos, iansã tem uma vestido bufante que parece girar em seu corpo, seu rosto parece coberto e nas suas mãos há instrumentos. Perspectiva ilustrativa do acesso ao largo Tereza Batista, que possui piso e paredes pintados na cor vermelha e há uma grande escadaria que leva a parte mais alta onde observamos uma cobertura. Perspectiva ilustrativa do largo Pedro Arcanjo. Na imagem vemos de frente o largo, com dois níveis, no primeiro há bancos e vegetação que cai pelo guarda corpo, no segundo vemos uma cobertura com vegetação e, ao fundo, vemos sobrados coloniais coloridos. O dia esta ensolarado e pessoas circulam pelo local. Perspectiva isométrica do largo Pedro Arcanjo, que possui construções com volumetria simples e brancas representando os sobrados coloniais. O espaço entre eles configura um largo e para acessá-lo há um corredor. À direita da imagem, todo pintado de azul, o piso do largo tem tons claros azulados. Vemos um nível mais baixo sem cobertura e um nível elevado com cobertura vazada, uma pérgola branca com vegetação. À esquerda, vemos uma edificação nova, um sobrado branco com formas retas e revestimento vazado em tons de azul. Dois desenhos em linhas azuis que representam os orixás Nanã e Oxalá. Nanã tem o rosto coberto e um vestido longo rodado, ela tem um braço levantado com um instrumento na mão e sua postura é levemente inclinada, como uma idosa. Oxalá tem o rosto coberto, calças curtas e um tecido enrolado no corpo, ele segura um grande mastro que apoia no chão, sua postura é levemente inclinada, como um idoso. Perspectiva ilustrativa do largo Pedro Arcanjo. Na imagem vemos uma edificação nova, um sobrado branco com formas retas e revestimento vazado em tons de azul. À sua frente há uma cobertura vazada com vegetação, onde figuras humanas parecem dançar sob a cobertura. Sequência de dois cortes técnicos do largo. No primeiro, vemos dois pavimentos subterrâneos, sobre os quais pessoas dançam, como em uma festa, e estão sob uma cobertura com vegetação, ao fundo vemos sobrados coloniais. No segundo corte vemos um corte transversal que ilustra a diferença de nível no largo, na parte alta há mesas de restaurante e uma cobertura com vegetação, a parte baixa é um espaço livre, notamos um desnível alto com o sobrado vizinho, que fica bem mais baixo, seu telhado está no nível do piso do largo. Perspectiva ilustrativa do largo Quincas Berro d’água. Vemos uma praça com arquibancada em forma de ondas, há uma grande cobertura translúcida em um trecho do largo, na lateral há sobrados coloniais coloridos, há mesas de bar no primeiro plano, pessoas passeiam pelo largo, com destaque para mulheres com trajes típicos de baianas. Duas ilustrações com traços pretos dos orixás Iansã e Exu. Iansã parece flutuar, usa um vestido longo, tem o rosto coberto e segura um espelho na mão. Exú está de costas, em um movimento que parece que vai virar de frente, usa uma capa, segura instrumentos na sua mão, e na sua cintura há um elemento fálico. Perspectiva isométrica do largo Quincas berro d’água. Construções com volumetria simples e brancas representam os sobrados, o espaço entre eles configura um largo bem longitudinal. Para acessá-lo há um corredor com um grande elemento preto e o piso tem cor de argila. O piso tem um desnível na transversal, que é vencido por uma arquibancada em formato de ondas. Há uma grande cobertura no meio do largo e outra no final. Sequência de quatro infográficos que mostram a formação dos largos. No primeiro há uma quadra com sobrados em toda sua volta, os quintais dos fundos das casas são divididos por muros. Na segunda imagem uma seta vermelha para cima indica que esses muros foram retirados. Na terceira imagem setas vermelhas indicam a retirada de sobrados no meio da quadra, que abre espaço para dois acessos. A última imagem é a conclusão do processo, com o largo aberto. Foto aérea da região do pelourinho em preto e branco. Nela estão destacados em amarelo os três largos do concurso, identificando que estes se localizam na porção norte do Pelourinho.

Largos do Pelourinho

Coração da primeira capital do Brasil, o Centro Histórico de Salvador, ocupa lugar vital na cultura brasileira além de ser um ícone da cultura afro-baiana. Durante longos anos, sofreu um processo de degradação e abandono, fruto de intervenções que desconheceram a relação desse lugar com seu entorno imediato, do seu patrimônio construído e potencial na cadeia produtiva da cultura.
A proposta aqui apresentada visa à valorização mais aprofundada desse núcleo urbano, chancelado pela UNESCO como Patrimônio Mundial, tendo como foco o conjunto arquitetônico e suas relações simbólicas e culturais com o local e sua população, através de espaços de convivência e socialização, que possibilitem os encontros, manifestações e trocas, abdicando o entendimento e as intervenções de caráter meramente fachadista e cenográfico, contribuindo para preservação do conjunto tornando-o mais aberto a população e atrativo aos visitantes.

+INFORMAÇÕES
Título :Largos do Pelourinho
Equipe +1 : Tiago Brito + Luis Milan
Parceirio: Sheila Naomi Goto
Promoção : IPAC – Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia
Local : Salvador – BA
Data : 2012