ÁREA E PROPOSTA

A proposta para a reordenação da área compreendida pelo eixo do Expresso Tiradentes, que agrega setores dos bairros da Móoca e Ipiranga, tem como ponto de discussão principal o conceito de uma cidade mais compacta, privilegiando o acesso irrestrito do cidadão ao seu lugar de forma imparcial e reforçando as potencialidades da área, como seus aspectos ambientais, históricos e culturais.

A região escolhida como área de estudo tem abundância em infraestruturas básicas necessárias à população, se considerados os bairros que as compõem e rodeiam. Mooca e Ipiranga, por exemplo, estão entre as subprefeituras que mais oferecem empregos na cidade de São Paulo. Observa-se também um crescimento efetivo na quantidade de empreendimentos imobiliários a se instalarem na região, além de shoppings centers de grande porte.

Além de possuir atividades atrativas, a região possui sistemas de acessibilidade bem estabelecidos, compreendendo diversas estações ferroviárias, um corredor de ônibus elevado e vias estruturais que fazem as conexões necessárias entre a região central, a Zona Leste da cidade e a região do ABC.

Neste contexto bastante provido de oportunidades, a área em questão se apresenta como um entrave na busca de uma cidade mais densa e de relações mais diretas, que privilegie a qualidade de vida da população e que torne justificados os investimentos nesta área.

Com o passar do tempo, a substituição das indústrias por vazios urbanos ou edifícios inativos fizeram com que a infraestrutura já estabelecida ficasse subutilizada. Sistema viário, redes de saneamento básico e redes de transporte público, por exemplo, apenas “passam” por ali a fim de atingir áreas mais populosas e mais distantes, o que torna a cidade ineficiente de uma forma geral.

A relação com o rio Tamanduateí, que hoje se estabelece apenas pelo traçado das suas marginais, a Avenida do Estado, também não possui tratamento adequado diante de uma relação entre cidade e rio que pode trazer diversos benefícios em termos de qualidade de vida à população da área. O rio se apresenta como potencial de guia para o desenvolvimento de um sistema de áreas verdes na região.

Neste sentido, as cidades contemporâneas exigem uma sobreposição de atividades que permitam que os deslocamentos sejam menores e mais agradáveis, além de garantir mais e melhores oportunidades à grande população da cidade. A proposta, portanto, busca uma cidade diversificada e mista, com garantias de áreas verdes e espaços públicos úteis, além de previsões de alta densidade de usos heterogêneos em uma região com potencial para uma dinâmica diferenciada.